O engajamento das crianças na aula de #EducaçãoFísica através dos recursos tecnológicos (Placar Eletrônico). #BilingualPE

 

scoreboard

A tecnologia está presente também nas aulas de Educação Física, não podemos negar! Hoje presenciei o engajamento das crianças do Grade 2 numa simples abordagem de tecnologia que está acessível a qualquer pessoa que tiver um smartphone e um tablet: os aplicativos (Apps).

A aula era sobre handball e houve todas as variações possíveis e imagináveis para as crianças, mas o que realmente engajou as crianças para fazer as atividades no início da aula foi a abordagem tecnológica. Levei meu tablet com o aplicativo já instalado e expliquei o que iria mostrar placares eletrônicos de diferentes jogos e como poderíamos aplicar o placar em nosso jogo.

Apesar da aula ser de handball apenas, transitei por esportes como basketball, volleyball, hockey, soccer, track&field, tennis, rugby, swimming, badminton, polo, etc. Só a primeira parte da aula consegui a atenção de todos na teoria e poderia ter especificado regras de cada uma dessas modalidades, mas mantive o foco no handball.

scoreboard2

Como introdução ao assunto tecnológico, expliquei um pouco de como eram os placares das escolas brasileiras quando eu tinha a idade deles, há cerca de 25 anos atrás. Lembro que na minha escola o placar era de madeira e trocávamos os números ponto a ponto com placas de madeira. Adorávamos ser os ajudantes do placar (mais até que apitar os jogos). Essa parte foi muito interessante para eles refletirem de como era o antes e como é a atualidade.

Hawks X Tigers

Após a introdução do placar eletrônico, dividi a turma em duas equipes e propus que as crianças criassem uma característica própria para a equipe, assim como os clubes e times americanos costumam fazer. Dei a ideia de escolherem um animal que representasse o time deles através das características que eles mais gostassem, fazendo uma reflexão coletiva do que gostam mais em animais.

Um grupo escolheu um pássaro por poder voar e observar tudo por cima. Um verdadeiro time “caçador” com vista privilegiada (Hawks – Falcões). O outro grupo escolheu um felino, animal ágil na terra e que domina seu território (Tigers – Tigres).

Essa dinâmica de mistura de história (minha história pessoal sobre placares de madeira nos anos 90), a divisão de grupos e o engajamento das crianças na construção das características (a escolha de animais que demonstram os pontos fortes do grupo) e o entendimento da tecnologia em prol dos esportes (fluência digital – um dos pilares metodológicos da Escola Concept).

Toda essa experiência vivida em apenas 45 minutos de aula já me fez pensar em um projeto de longo prazo, podendo ser realizado durante todo o semestre e estendido pelo ano.

“Habits of Mind” nas aulas de Educação Física.

habitsofmind

Existem 16 “Habits of Mind” que trabalhamos aqui na Concept São Paulo. É uma abordagem nova para mim, não nego, mas que aos poucos tenho introduzidos nas aulas de Educação Física na construção e desenvolvimento de atividades diárias.

Semana passada passei uma atividade de “Dodgball” para as crianças do Grade 5 e pude analisar de perto o comportamento das crianças em relação à um dos 16 “Habits of Mind”: Taking Responsible Risks.

Em um determinado momento do jogo quando havia duas equipes disputando ponto a ponto as regras do “Dodgeball”, sobrou apenas uma das crianças em uma determinada equipe, e para “salvar” um novo integrante que estava fora momentaneamente por razões do jogo (jogo com regras da tradicional “queimada”), a criança teve que se submeter à encarar o risco de ser “queimada” para agarrar a bola e trazer uma nova criança de volta ao jogo.

Ao final da brincadeira, depois de várias crianças terem se arriscado para salvar outras e retornar ao jogo, fizemos a analogia com os “Habits Of Mind” que trabalhamos na Concept.

Consegui trazer para dentro da aula de PE um exemplo prático do que é a teoria aplicada dentro da sala de aula. As crianças ficaram engajadas no bate-papo posterior. Como professor, fico contente de explorar novos caminhos que a educação está proporcionando para todos nós educadores do século 21, com métodos antigos no “velho mundo”, mas ainda muito novos aqui no Brasil.


Se sugestões são bem-vindas para novas dinâmicas de PE, essa imagem acima tem todos os 16 “Habits of Mind” com uma breve explicação de cada um deles. Tem facilitado bastante na abordagem com as crianças sobre o significado das atividades, do ambiente, do processo de aprendizagem, e em todas as situações fora do planejado que geralmente acontecem dentro de uma aula de Educação Física.

Vale a pena dar uma olhada no site e, se não for do interesse de fazer um grande planejamento em cima do estudo, pelo menos tentar uma pequena dinâmica para ver como as crianças reagem às características.

Let’s Be… in PE.

7f209f811062820270acd77ab0931dbf

Uma prática comum agora nas minhas aulas de PE (Physical Education – Educação Física) são os recursos visuais. Há cerca de um ano comentei em uma escola onde trabalhei sobre a importância de ter boards nas paredes da escola, mas não obtive sucesso na época da aquisição desses boards.

Hoje trabalho em um colégio onde há uma filosofia de expor tudo o que os alunos pensam. Trabalhamos com Visible Thinking Routines, onde escrevemos em flip-charts, por exemplo, a rotina de pensamentos que as crianças fazem durante o dia ou durante uma aula. Há várias VT Routines (em breve post sobre VT Routines) que podemos aplicar nas aulas.

No Pinterest, como de costume, há várias inspirações para nós educadores, então encontrei esse board que é construído a partir do que as crianças pensam sobre a aula de EF e sobre o professor. É interessante também que as crianças precisam refletir sobre como elas devem se comportar na aula e no ambiente.

Podemos dizer que foram feitas Essential Questions sobre a aula, o profissional, o comportamento do aluno, o que os alunos esperam aprender na aula, a importância da EF e como as crianças se sentem na aula de EF. (Importante pegar essas frases para fazermos nosso próprio board de Visible Thinking:

  1. What kind of PE Teacher do you want (Mr. Felippe) to be?
  2. What kind of student should you be in PE?
  3. What do you hope to learn in PE?
  4. PE is important because ________________________________.
  5. How do you feel about PE? (Checkmark – Love PE / Like PE / OK, I have to do it)

Com essas Essential Questions a gente consegue externalizar o que as crianças pensam sobre as aulas de EF, o que esperam aprender da aula e ainda dão um feedback sobre o professor de EF.

Já vou providenciar a minha VT Routine com essas perguntas para criar novas discussões entre os alunos e nossas dinâmicas atuais.

Empresa alemã eleva quadra poliesportiva ao próximo nível | German company takes sports court to the next level.

lightASB01

Explorar o Pinterest dá nisso – encontrar algo que pensávamos ser impossível no mundo esportivo. Essa quadra poliesportiva foi feita por uma empresa alemã e as marcações dos esportes são feitas através de um sistema de LED.

O LED foi instalado na parte inferior do piso e através de comando em uma tela touch-screen é possível escolher qual esporte praticar e delimitar as marcações da quadra. É possível fazer combinações de largura e distância da metragem da quadra, dividindo-a assim em duas quadras pequenas no mesmo espaço e, ainda é possível misturar mais de duas modalidades esportivas no mesmo espaço. Veja o sistema por baixo do piso:

lightASB05

A tecnologia está emergindo nos esportes de formação e esportes de rendimento. Essa quadra é o reflexo do que virá pela frente nas próximas décadas, trazendo o máximo de tecnologia nas estruturas dos ginásios. Se antes a tecnologia estava presente no teto retrátil ou no placar eletrônico, agora chegou a hora da tecnologia no piso.

lightASB04

No site designboom.com encontrei um texto sobre as especificações do sistema incorporado no ginásio (texto copiado e colado abaixo). Além do texto, há também o vídeo com as demonstrações de mudanças de marcações. Muito interessante!


‘LED illuminated glass sports flooring’ by ASB

Using LEDs for markings, german ASB systembau have developed the ‘ASB glassfloor’, a new type of glass surface that utilizes programmable lighting to create lines for indoor sports playing grounds, as well as video output with capabilities of rendering specific messages beneath the panels. with this, the system can be used for illuminating different courts at the touch of a switch, adapting to sports such as badminton, basketball, indoor soccer or hockey, and handball or volleyball.

Using a series of modifications with ceramic treatments to reach levels of elasticity and friction similar to traditional indoor courts, the surface technology provides enough bounce to make sure a ball responds the same way as it would on a wooden floor. combined with sensor technologies, digital markings can also provide reference to where a player’s foot stepped out of bounds, or where a ball landed.

Distúrbios Psicomotores: Debilidade Psicomotora. #Psicomotricidade

psichomotricity

O último semestre da pós-graduação de Psicomotricidade (que iniciei agora no mês de Março/18) começou com um módulo muito interessante para o trabalho no dia-a-dia com as crianças: Distúrbios Psicomotores.

Fiz algumas anotações do conteúdo em aula e quero compartilhar esse conteúdo aqui no blog. Em primeiro lugar para que eu tenha fácil acesso na internet para esse assunto, em segundo para difundir essa abordagem psicomotora superinteressante.

Um dos tópicos abordados no módulo foi sobre a Hemiplegia (*) e isso vai direto de encontro com uma das crianças que trabalho atualmente na escola. Tenho tido poucos informações sobre a condição da criança, mas estudando sobre debilidade psicomotora o assunto Hemiplegia vêm à tona. Veja um link abaixo com um breve definição e de uma forma superficial de definição (site não científico):

*Hemiplegia: Paralisação de metade do corpo (lado direito ou esquerdo)


Essas são algumas anotações minhas das aulas do módulo de Distúrbios Psicomotores:

  • Conceitual: Distúrbios, Transtornos e Dificuldade.
  • Funções Executivas: Controle Inibitório, Memória de Trabalho e Flexibilidade Cognitiva.
  • Inibição Psicomotora, Debilidade Psicomotora, Instabilidade Psicomotora, Lateralizada Cruzada, Imperícia.
  • Dificuldade de Aprendizagem: Dislexia, Disgrafia, Dispraxia, Discalculia, Dislalia…

Debilidade Psicomotora

Caracteriza-se pela presença de paratonia e sincinesia.

  • Paratonia: É a persistência de uma certa rigidez muscular, que pode aparecer nas quatro extremidades do corpo ou somente em duas. A criança apresenta incapacidade de relaxar voluntariamente um músculo. Quando a criança caminha ou corre, os braços e as pernas se movimentam mal e rigidamente. Ao caminhar ou na postura estática apresenta uma certa deselegância. A qualquer tipo de solicitação, interna ou externa, a rigidez aumenta.
  • Sincinesias: É a participação de músculos em movimentos nos quais eles são desnecessários. Por exemplo, quando colocamos algo numa das mãos de uma criança com debilidade motora e pedimos que ela aperte o objeto fortemente, sua mão oposta também se fechará.

5° Workshop #BilingualPE na Global Me School (SP).

Visitamos a Global Me School no dia 24 de Fevereiro para fazer mais um workshop da Bilingual PE. Como de costume, fizemos os módulos teórico e prático e uma oficina entre os dois módulos. A oficina foi de música, com participação especial da Profª Roberta Bonelli, do Colégio Chapel (SP).

O evento está cada vez mais conhecido entre os profissionais de Educação Física do Estado de São Paulo, e aos poucos começam a surgir o interesse de profissionais de outros estados para participação e também levar a Bilingual PE para fora de SP.

Recebemos algumas propostas de outras cidades do Brasil, e isso nos deixa muito contentes pelo fato de ter novas oportunidades de difundir a Educação Física Escolar Bilíngue em território nacional.

É um projeto que não foi feito para trazer vivências em São Paulo apenas, mas sim compartilhar o máximo de experiências culturais e esportivas pelo nosso país. Estamos cada vez mais engajados em novos projetos dentro do projeto Bilingual PE.

Entendemos que a Bilingual PE deve ser visualizada como “Big Picture”, e aos poucos vamos fragmentando outros projetos dentro da já estabelecida Bilingual PE. Há interesse de diversos profissionais da área educacional em fazer parte de nossos eventos, como pedagogos, fonoaudiólogos, professores de música, psicomotricistas, psicopedagogos, entre outros.

Esse entusiasmo que vem de outros profissionais é contagiante, trazendo novos significados para o planejamento do processo de aprendizagem que propomos em nossos eventos. Entramos em 2018 muito mais engajados no aprimoramento do educação quando comparamos nossos objetivos iniciais em Fevereiro de 2017.

Como formadores estamos buscando os melhores conteúdos e dinâmicas para entreter os participantes e ao mesmo tempo relacionar nossos práticas com os processos de aprendizagem dentro e fora das escolas.

Bilingual Education: The Power of Twitter.

twitterquote

A maior parte dos educadores brasileiros não estão acostumados em utilizar a redes sociais para pesquisa de novas fontes. Há algum tempo utilizo as redes sociais para divulgação dos meus serviços, desde a época que estava na área fitness. O Twitter foi em um determinado período o grande parceiro das mensagens rápidas para atualização de status no dia-a-dia.

Agora na educação, o Twitter voltou com força no meu dia-a-dia. Além do perfil pessoal, tenho o perfil profissional que comecei a alimentar nesta semana. Essa retomada na utilização da rede social é influência da minha diretora, que trabalhou por 5 anos em ensino médio nos EUA. Ela incorporou a essência dos educadores americanos e fez de seu perfil um diário de suas experiências educacionais.

Aprofundando nas pesquisas de perfis de educadores no Twitter, encontrei um novo universo: O de professores de EF americanos que tem seu perfil com conteúdo rico em artigos científicos, atividades, dicas, experiências, etc. Tudo o que um professor brasileiro precisa para integrar à comunidade de professores bilíngues.

Essa “quote” acima é de uma educadora famosa nos EUA, mas pouco conhecida no Brasil. Retuitar ela fez com que ela entrasse no meu perfil e tenho dado uma “passada” nos meus tuítes. É uma forma simples de compartilhamento de ideias de forma rápida e na palma da mão, derrubando as barreiras da distância que existe entre nós professores de todo o mundo.

Já imerso nessa velha-nova experiência, o Twitter terá parte importante no conteúdo dos workshops da Bilingual PE, aproximando ainda mais os professores e dando oportunidades para expressar o que talvez nunca tenha sido dito antes.

É a tecnologia em prol da Educação Física.

Escola #Concept – São Paulo

Semana passada fui finalmente conhecer a tão comentada escola modelo Concept aqui em São Paulo. Ela fica localizada na Av. Nove de Julho e ocupou o prédio do que um dia foi o Colégio Sagrado Coração de Maria.

O prédio é tombado e não pode mexer na estrutura externa, sendo assim, se manterá com a tradicional fachada, mas por dentro… será uma revolução da educação no Brasil. O currículo foi montado depois de longo estudo por algumas escolas no mundo, e a Finlândia é o principal país que a Concept se inspirou para tal inovação.

Educação Física na Concept

O currículo de Educação Física é integrado com o currículo do pedagógico, assim como o currículo de Artes e Música. Um só planejamento para todas as atividades da escola. Para isso, a Concept criou um Corpo Docente, que norteará as atividades durante todo o ano.

É um estilo ousado, mas que já tem 50 anos no mundo. As pessoas estão dizendo que é uma educação experimental, até pode se considerar experimental quando se trata de Brasil, mas o mundo lá fora, em poucas escolas, claro, já conhecemos esse novo estilo que a educação de base está se encaminhando.

Vou comentar muito ainda sobre a Concept aqui e as atividades de Educação Física do dia-a-dia da escola.

A startup Bilingual PE em seu primeiro ano.

Neste sábado (20) me dediquei em uma breve apresentação falada do que é a Bilingual PE. Tenho feito muitas postagens escritas sobre o que fazemos e também sobre diversos conteúdos relacionados à Educação Física Bilíngue, mas ter um vídeo na internet me pareceu bastante sensato na era digital, onde vídeos curtos são bastante visualizados.

Deu certo, porque atingiu um público grande no Facebook e gerou até mais curtidas em nossa página. Isso é ótimo no ponto de vista de conseguir mostrar mais sobre a Educação Física moderna.

Arrastei alguns móveis lá do “escritório” de casa e coloquei a câmera sobre alguns livros para gravar. Não tenho muito domínio de vídeos na internet, principalmente quando o assunto é sério e queremos explicar da melhor forma possível em poucos minutos. A edição também foi simples, apenas juntando dois vídeos em um, mas acho que consegui transmitir o recado.

O importante é convidar à todos os profissionais de Educação Física que querem contribuir e compartilhar com conhecimentos e conteúdos da área escolar. Temos workshops mensais e queremos juntar o máximo de pessoas possíveis em nossos encontros.

Join us!

Obs.: Errata: No vídeo falo “pro workshops e cursos” quando na verdade seria “pros workshops e cursos”. Mudei de raciocínio no momento da construção da frase, por isso do erro. Decidi deixar para ficar um pouco mais humano rs.

5º Workshop Bilingual PE: #GlobalMe School.

BannerPromocaoGlobalMe

Olá pessoal! Ontem postei nas redes sociais o folder de divulgação do nosso 5º Workshop Bilingual PE. Ele acontecerá na Global Me School, em São Paulo (Próx. Metrô Consolação).

Como está escrito no título e também no primeiro parágrafo do post, é o nosso 5º workshop (e o 2º de 2018). Para os workshops de 2018 há várias novidades, entre elas as oficinas: Psicomotricidade, Saúde Vocal do Professor, Educação Física Adaptada e Música para Educação Física Bilíngue.

Tenho a oportunidade de voltar à Global Me, escola onde tive a oportunidade de ingressar no ensino bilíngue, e compartilhar ideias das quais aprendi na própria Global. É com enorme satisfação que me junto nesse dia à toda a equipe de esportes que fiz parte por 4 anos e meio. Será um dia especial para mim e, com certeza, para todos nós que participar do evento.

Será no dia 24 de Fevereiro e o valor da inscrição é de R$ 90,00. As inscrições podem ser feitas diretamente no site da Bilingual PE (http://bilingualpe.com). O pagamento da taxa de inscrição é realizado após o recebimento do email com os dados bancários para transferência/depósito.

Vejo vocês lá! Abraço.