Programa de Educação Física Bilíngue #BilingualPE em fase de finalização.

images (1)

Está na fase de finalização o programa de Educação Física da Bilingual PE. Agora de manhã terminei a segunda parte das três existentes. Em 2018 trabalharei todo o conteúdo de Educação Física na Maple Bear onde ministro aulas em cima de planning próprio.

Coloquei no papel os planos que sempre tive em mente trabalhando com as crianças e em equipe (com assistentes). Sempre esteve muito claro na minha cabeça o processo de aprendizagem na Ed. Física Infantil até o Ensino Fundamental I e II, mas repassar esse conhecimento era um projeto ainda. O programa está praticamente pronto. Foram quase 10 meses de trabalho, pesquisando muito o mercado de trabalho, o método de ensino americano e como eu deveria encaixar a Ed. Física no contexto americano.

Houve interesse de algumas empresas no desenvolvimento do programa de Ed. Física Bilíngue, mas não demos continuidade no projeto para a empresa. Porém, eu não parei e percebi que fazer um programa próprio seria algo diferente na Ed. Física Escolas brasileira, principalmente no ensino bilíngue.

Busquei referência em artigos e livros, além de referências de empresas onde trabalhei e que consegui encaixar meu estilo de trabalho enquanto estive por lá. Fiz uma mesclagem de periodização (estilo fitness de planejamento) com os conteúdos escolares. Essa mesclagem originou em um documento prático e objetivo, com conteúdo de fácil compreensão e estrutura organizada de planejamento semestral. O programa deverá conter no máximo 10 páginas inteiras, fugindo das longas páginas dos livros do mercado.

Serão apenas duas folhas de planejamento: 1º semestre e 2º semestre. Com códigos de fácil visualização, o professor poderá carregar em um simples .pdf no celular ou tablet, além claro de poder fixar as folhas em qualquer local da escola onde trabalha.

Tenho muita vontade de mostrar em imagens aqui, mas o conteúdo é restrito e é parte de um projeto para captação de parcerias, então mostrarei muito pouco de forma livre. Discutirei mais do que mostrar, afinal, tenho agora os direitos reservados dos documentos que desenvolvi e vou trabalhar em cima disso agora.

Falta somente os relatórios de avaliação semestrais para fazer no photoshop, além das artes finais do documento.

Janeiro promete!

 

PYP: Primary Years Programme.

Discutindo nos workshops sobre programas pedagógicos e programas de PE, há algum tempo nos deparamos com o assunto certificação PYP. O Primary Years Programme é um programa internacional da International Baccalaureate, ou simplesmente IB, para escolas internacionais. Os professores precisam ter a certificação para atuarem nas escolas que tem o método de ensino da IB.

Se isso já é um diferencial para o professor da área pedagógica no mercado de escolas bilíngues e internacionais, já imaginou um professor de Educação Física com certificação PYP? Há uma discussão sobre a junção da excelência técnica do especialista de PE com a fluência no idioma inglês, caso raríssimo no mercado de trabalho hoje em dia, mas existe. Esses profissionais estão nas melhores escolas de SP e do Brasil, sendo elas internacionais ou bilíngues (salvo exceções, claro).

Tendo trabalhado na área fitness por 7 anos antes das escolas bilíngues, constato que a educação bilíngue é o patamar mais alto que um professor de EF pode chegar. Há uma cobrança fora do comum conosco, algo que um professor inexperiente não suportará no dia-a-dia. Tendo acarretado experiência o suficiente para ministrar as aulas de PE em inglês o tempo todo, o próximo passo do professor é avançar os níveis de proficiência adquirindo certificações (Cambridge, etc) e, em seguida, as certificações internacionais da área educacional. O PYP é um deles!

Estou estudando um pouco mais sobre o assunto e a ideia é me aprofundar para discutir melhor em workshops e questionar se o professor de EF está ciente do que o mercado de trabalho oferece para nós profissionais de Educação Física. Muita água vai rolar por debaixo dessa ponte.

Programas bilíngues / Programas de Educação Física bilíngue.

522737859

O mercado educacional bilíngue cresce não apenas com cada nova escola que abre as portas, mas há ainda um ramo pouco conhecido da grande massa de educadores e empreendedores que querem investir na educação no Brasil: Os Programas Bilíngues para desenvolvimento da cultura do bilinguismo.

Há empresas especializadas no desenvolvimento de programas bilíngues para serem implementados nas escolas que estão migrando para o ensino bilíngue ou adicionando esse novo serviço dentro de uma escola já tradicional. A ascensão das escolas bilíngues no Brasil gera novos empregos e, consequentemente, novos ramos do empreendedorismo.

Coordenadores pedagógicos, diretores de escolas e professores se tornam consultores em empresas como a EBI – Escolas Bilíngues Internacionais e American Academy, que junto com empreendedores que acreditam que a educação bilíngue é hoje um mercado amplo e pouco explorado no Brasil. A educação bilíngue “engatinha” no Brasil, como temos comentado em nossos workshops, e atender às necessidades do mercado é o papel das consultorias educacionais.

Programas são trazidos de fora ou são baseados em programas de sucesso dos EUA e Reino Unido. Há uma base sólida na educação bilíngue criada com parcerias de “peso” de grandes empresas, com metodologias próprias, assessoria pedagógica, certificação internacional e material didático. Tudo o que uma escola quer oferecer para um pai que busca o melhor para seus filhos. É um grande passo para a internacionalização do indivíduo.

Programa de Educação Física bilíngue

Os programas bilíngues existem e são excelentes, mas ainda falta o programa de Educação Física para as escolas bilíngues. Não há uma base sólida no Brasil que desenvolva os programas esportivos com base no bilinguismo. É uma necessidade do mercado de escolas bilíngues ter professores de EF que ministrem aulas em mais de um idioma.

Em nossos workshops esse assunto já se tornou um dos temas principais – o da carência de professores de EF bilíngues. O grande problema na constante busca da implementação do bilinguismo no Brasil é ter um programa bilíngue de imersão dentro da sala de aula e também nos programas extracurriculares da mesma instituição.

Quer saber mais sobre isso?

Temos o nosso próprio programa de EF bilíngue. A consultoria educacional transcendeu as paredes das salas de aula e chegou às estruturas esportivas das grandes escolas brasileiras. É preocupação hoje dos pais manterem o ambiente do bilinguismo full time, e os esportes é parte fundamental para o sucesso de um programa bilíngue.

Há alguns meses tenho apresentado alguns modelos de programas bilíngues voltado para o esporte e a aceitação tem sido satisfatória. Hoje em dia há uma preocupação com as atividades extras dentro das escolas. Proprietários de escolas voltaram seus olhos para a excelência na educação e consideram a área esportiva peça chave para captação de novos clientes que procuram a melhor educação para seus filhos.

Sabemos disso porque os workshops tem surtido efeito não apenas para os professores que vão aprender mais sobre práticas esportivas e estratégias de planejamentos, desenvolvimento de aulas e avaliação, mas atinge também diretores e coordenadores que querem novos programas dentro do currículo de sua escola.

Venha assistir um workshop nosso em alguma grande escola da cidade de São Paulo. É o primeiro passo para entender os novos programas que a Educação Física moderna propõe para o mercado educacional.

Contato: felippe@bilingualpe.com

Site Bilingual PE.

site

Agora com o blog, app e redes sociais em ordem, chegou a hora de dar a devida atenção ao site da Bilingual PE. Recomecei nessa semana a construção dos novos layouts da aba “Home”. Fiz algumas mudanças no background do site deixando-o clean com a aplicação do branco ao fundo (retirei as marcas d’água que o deixavam pesado).

A ideia do site é deixar as informações claras e com fácil acesso às funcionalidades do site. A funcionalidade que mais deu certo até o momento foi o formulário para candidatos dos workshops possam fazer suas inscrições (o que se manterá).

Até o início do primeiro semestre de 2018 estará no site nosso programa de EF. Ele está sendo desenvolvido e tem previsão de término em Janeiro.

Dá uma olhada lá no site para ver como está ficando a página principal: http://bilingualpe.com

Leve o workshop da #BilingualPE para sua escola!

bpenasuaescola

Fala pessoal, tudo bem?

Para quem ainda não conhece o programa Bilingual PE e o Workshop Bilingual PE vou explicar nesse post como funciona.

No dia 12 de Agosto de 2017 fizemos nosso 1º Workshop Bilingual Physical Education na MapleBear Jardins (SP). Reunimos 20 professores de Educação Física atuantes em escolas bilíngues e internacionais da cidade de São Paulo, Itú (SP) e Rio de Janeiro (RJ). Foi uma experiência nova para nós professores, podendo abrir discussão sobre o mercado de trabalho, o cenário da EF nas escolas bilíngues e, principalmente, compartilhar conteúdos aplicados no dia-a-dia da Educação Física Bilíngue.

Apesar de ter sido sediada na MapleBear Jardins, a Bilingual PE não é um programa da escola canadense. O projeto é independente e foi criado para manter um relacionamento entre professores de PE através de ferramentas online e encontros periódicos. O intuito é levar os workshops para o máximo de escolas espalhadas pela cidade de São Paulo e cidades do Brasil.

Já recebemos convites para ministrar workshops em outras escolas já neste ano, então preparamos o planejamento e adaptamos para as dinâmicas na escola que irá sediar um workshop da Bilingual PE.

Professores, Educadores, Coordenadores e Diretores podem programar uma data para visitarmos a escola que irá sediar uma edição do workshop. Estamos com datas disponíveis para escolha e programação do evento. Não há custo para a escola sediar uma edição do workshop da Bilingual PE, havendo apenas a responsabilidade de ceder os espaços para os módulos teórico e prático conforme o planejamento da Bilingual PE (condições a combinar diretamente com a escola).

Entre em contato pelo meu email felippe@bilingualpe.com e saiba um pouco mais sobre o programa.

Até breve!

Planejamento anual das aulas de Educação Física – Estilo periodização.

planning

Terminei agora o meu planejamento do 2º semestre. Um pouco tarde, eu sei, mas fiz num estilo novo. Quando trabalhava com treinamentos de corrida fazíamos planilhas de periodização de treinamentos com códigos seguindo a legenda do documento.

Com base no livro “Ready-To-Use – P.E. Activities for Grades k-2“, peguei as atividades do livro e fiz uma legenda (já vem uma legenda no livro também) e coloquei numa planilha de Excel. Com os códigos descritos nas semanas, só preciso identificar qual o número da atividade e procurar no livro a referência para ver a página do livro com as sugestões de jogos e brincadeiras.

Fica muito mais fácil, não precisando descrever toda as atividades em uma folha em branco e deixando o arquivo extenso em várias páginas.

Vou fazer um print da tela e arrumar no Photoshop posteriormente para postar como imagem aqui.

Enquanto isso, dá uma olhada no documento no link em PDF que gravei. Faz parte do Programa de Educação Física da Bilingual PE.

Weekly Planning 2nd Semester – Mr. Felippe

Jogos e brinquedos tradicionais – Psicomotricidade.

This slideshow requires JavaScript.

Na pós graduação de Psicomotricidade há diversas dinâmicas que podemos aplicar no dia-a-dia na escola. Sábado (19) tivemos várias brincadeiras interessantes proporcionadas pela professora Anna Melo no curso da Unifai (SP).

A disciplina é Educação Psicomotora e além da teoria, que permeia todo o âmbito de Psicomotricidade na Educação Infantil, a professora faz questão de direcionar uma parte da aula para nós sairmos das carteiras e brincar no chão, sem restrições. Só por isso percebemos que poucos professores na atualidade exploram o chão como principal local de brincadeiras na EF infantil (parece bobeira da minha parte mencionar isso, mas a própria professora aponta esse fato nas turmas de professores. Alguns fazem cara feia quando ela pede para sentar no chão).

Ela trouxe brinquedos que costumávamos ter na infância e outros novos, que ocupam pouco espaço e com alto grau de interatividade. Das três fotos que tirei, podemos perceber pequenos quadrados feitos com tecidos, um jogo com cartas e peões.

Tecidos

Os tecidos são pequenos e podem ser adquiridos por baixos preços na Rua 25 de Março (SP). Geralmente esse tamanho de tecido é jogado fora pelas próprias lojas de confecções. Com uma quantidade razoável, é possível juntar dois tecidos, um em cima do outro, e costurar as bordas deixando o meio do tecido livre para colocar objetos dentro. Nesses tecidos da foto, a professora colocou uma pequena bolinha de plástico (como se fosse uma pequena pérola de bijuteria) e fez diferentes desenhos de costuras no meio do tecido para criar caminhos (labirintos) em que é necessário passar (direcionar) a bolinha. Neste caso, o aluno deverá utilizar os dedos para empurrar a bolinha pelas costuras do tecido, utilizando assim um controle motor – praxia fina. Podemos variar os movimentos trocando os dedos para empurrar a bolinha e também trocar as mãos, utilizando a mão dominante e em outras a não-dominante.

Cartas / Elástico de Cabelo / Sino

Nessa brincadeira utilizamos cartas com figuras de mãos desenhadas com esquematização de cores envolvendo os dedos da mão. A brincadeira é visualizar as cartas e depois colocar os elásticos de cabelo conforme o desenho das cartas. A primeira pessoa que colocar os elásticos deve tocar o sino e depois avaliar qual dos participantes acertou a sequência de elásticos nos dedos por cores e disponibilização. Essa brincadeira pode ser feita por mais de duas pessoas, só depende da quantidade de elásticos de cabelo disponíveis para utilização. Praxia fina.

Peão

O bom e velho Peão. Nenhuma especificidade sobre a brincadeira, apenas a constatação de que jogar peão (aquele em que utilizamos os dedos para girar) é uma brincadeira psicomotora de controle motor fino. É necessário que a criança utilize os polegares corretamente para girar o peão e mantê-lo o maior tempo em pé girando. As variações dependem da criatividade do professor, colocando novos desafios como deixar o peão girar em um local específico ou ver qual peão fica girando mais tempo. O legal é ter diferentes tipos de peões para que as crianças consigam sentir a diferença entre modelos e qual força deverá empregar para girar o objeto.